Visualize o possível crescimento de Indaiatuba nos próximos anos

Visualize o possível crescimento da cidade nos próximos anos, através de sua área urbanizada com o MAPEAR INDAIATUBA.

MAPEAR INDAIATUBA Desenvolvimento e Sustentabilidade, disponibiliza link com arquivo para o aplicativo Google Earth – onde é possível visualizar todos os loteamentos recentemente entregues ou em construção até o ano de 2016 na cidade de Indaiatuba – e propõe discussão sobre o tema:

Link do Mapa para Google Earth:

https://drive.google.com/file/d/0BydFb0n52tKaVk1Yd3F3cGRDZ28/view?usp=sharing
(disponibilizado apenas para fins educativos, não autorizado para fins comerciais, legais ou particulares)

O que significam 10.600 lotes a mais na cidade?

Este é total aproximado de todos os lotes dos loteamentos recentemente entregues ou em construção até 2016, que mapeados no link disponibilizado, e descritos na tabela abaixo, separados por localidade e área dos lotes.

novos_loteamentos_indaiatuba_crescimento

* Consolidação: ocupação dos lotes estimada por imagem de satélite de 2016.
** População total: ocupação plena com média de 3,5 habitantes por lote.
*** População existente: já implantada ou em fase de finalização de obra, estimado por imagem de satélite de 2016.
**** População a implantar:  população total, menos população existente.
Observação: O Campo Bonito não está nas planilhas teve ocupação imediata.
Fonte: Mapas disponibilizados pelo site da PMI – Secretaria de Engenharia, imagens de satélite Earth e IBGE.

Na tabela anterior, que relaciona os loteamentos que já se encontram em construção, ou que  foram recentemente entregues em Indaiatuba (2016), podemos observar que serão implantados, a curto prazo, cerca de  10.615 lotes, o que significa uma capacidade de absorção de mais de 37.152 novos habitantes na cidade.

Antes da construção destes loteamentos, no ano de 2010, o município possuía 68.262 domicílios, sendo que de 4.660 deles estavam desocupados (Fonte: PMSB). fazendo uso de projeções de crescimento de domicílios (Fonte: PNAD e PMSB), poderíamos dizer que hoje (2017) seriam 80.310 domicílios, e que em 07 anos crescemos 11.448 domicílios, sendo que 5.482 seriam domicílios vagos espalhados pela cidade.

Além disso, há de se considerar que o bairro Residencial Campo Bonito, que transportou mais de 2800 famílias que deixaram seus antigos domicílios na cidade,  aproximadamente 55% delas possuíam fragilidade habitacional relacionada ao empenho excessivo de renda com aluguel; e estes imóveis (a maioria alugados) e que foram desocupados, poderiam ser somados ao total de moradias desocupadas para se ter um valor com mais acurácia.

Nesta perspectiva, podemos apontar que o número de imóveis residenciais desocupados pode ser de aproximadamente  7.022, fato que ilustra como estamos abandonando a ‘cidade tradicional’ e nos movimentando para novas áreas, criando demandas de infraestrutura, muitas das quais já eram existentes nos locais de origem da população.

(* PNAD – Pesquisa Nacional de Amostragem de Domicilios,  PMSB – Plano Municipal de Saneamento Básico)

Quanto tempo será necessário para ocupar plenamente estas novas áreas?

Somente estes novos loteamentos possuem a capacidade de receber mais de 37.000 novos habitantes, total que representaria o crescimento da população da cidade por mais de 8 anos (IBGE/2016). No entanto, a população que vai para estas áreas, não necessariamente representa o crescimento da cidade, pois pode ser constituída de migrantes de outros bairros, que perdem moradores e se tornam menos densos e desocupados, ao ponto que seus habitantes se deslocam para estas novas áreas, subutilizando infraestrutura urbana e de serviços já instalada nas proximidades de seus antigos locais de moradia.

Resumindo, faz-se uma dança das cadeiras, abandonando áreas antigas da cidade, que possuem infraestrutura já implantada e consolidada, gastando para urbanizar novas áreas desnecessariamente, movimentando assim um ávido mercado imobiliário.

Um dos resultados deste jogo de interesses e demandas, tem reflexo na Mobilidade Urbana, uma vez que estamos criando uma cidade onde tudo é longe, complicado e demorado de chegar.

Onde se localizarão os novos Equipamentos Urbanos como Escolas, Creches e Postos de Saúde, para atender a demanda destas novas áreas?

Em geral, quando bem planejadas, as áreas institucionais, doadas para a municipalidade na aprovação dos novos loteamentos, fornecem os terrenos onde serão construídos os novos equipamentos públicos para a população. Desta forma estas áreas deveriam possuir boa localização, serem contíguas ou em um único terreno, e de declividade aceitável, atendidas plenamente por um sistema viário coerente e prático. Mas o que testemunhamos é que alguns loteamentos são liberados em troca de determinado valor, acordado legalmente entre o empreendedor e a prefeitura.

Observe estas novas áreas Institucionais e os novos loteamentos, no link disponibilizado,  conforme a legenda abaixo:

Legenda:

loteamentos - crescimento

Continue a acompanhar o Mapeamento da Cidade através do MAPEAR INDAIATUBA Desenvolvimento e Sustentabilidade:

Links Anteriores:

Como salvar e utilizar Arquivos KMZ em seu Computador:

http://mapearindaiatuba.com.br/2017/04/projeto-mapear-indaiatuba-busca-popularizar-dados-geograficos/

Limites Municipais Indaiatuba:

https://drive.google.com/file/d/0BydFb0n52tKaT0JQRTctSVduMDQ/view?usp=sharing

Área Urbanizadas do Estado de São Paulo, Projeto Urbanizado Paulista da CATI:

http://mapas.cati.sp.gov.br/Urbanizado_CATI.kmz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *